quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Tal o Mestre, tais seus discípulos


Não há quem não se indigne até o máximo assistindo o vídeo postado no site do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira sobre a covarde agressão perpetrada por um grupo de agitadores pró-homossexuais, de Curitiba, contra os caravanistas da Cruzada pela Família.
Palavrões, gestos obscenos, gritos, zombaria, escarros, agressão física sangrenta, provocações as mais insultantes por parte desses agitadores não conseguiram, entretanto, vergar a presença de espírito, a prudência, a determinação e a coragem dos valorosos caravanistas.
O êxito indiscutível que a campanha contra o aborto e a agenda homossexual vai adquirindo junto à opinião pública faz compreender a “perda das estribeiras” por parte do lobby homossexual e seus orientadores. A imensa maioria dos brasileiros não só não se simpatiza com a agenda homossexual como lhe é contrária. Daí o grande apoio que vem recebendo a campanha.
Tratava-se pois, para os defensores da agenda homossexual, de desdourar a imagem brilhante da caravana e dos caravanistas do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira. Daí o monstruoso ataque.
Quantas considerações poderiam ser feitas em face de uma situação caracterizada por um confronto de posições tão opostas. E várias, muito a propósito aliás, já foram feitas.
Uma consideração que se pode acrescentar à gloriosa panóplia é a da semelhança de situação com o Divino Salvador entregue nas mãos dos verdugos.


De um lado os que professam publicamente a autêntica Fé católica pregada por Nosso Senhor Jesus Cristo.
De outro lado, uma minoria atrevida ao extremo, defendendo abertamente pecados que ofendem diretamente os preceitos de Nosso Senhor e de Sua Santa Religião.
Os defensores da Lei de Deus, sob o impacto da torpe agressão, se viram isolados, encontrando apenas na sua confiança e espírito sobrenatural, o apoio para manter corajosamente alta a condição, que vai se tornando cada vez mais evidente, de verdadeiros confessores da Fé.
Quanto aos opositores da Lei de Deus, um ódio e um atrevimento, apesar de seu número insignificante, nascidos do respaldo que recebem de quem lhes permite fazer o que bem entendam, sem o menor risco de sofrerem consequência alguma.
O que será do Brasil se a agenda homossexual vencer? O vídeo também dá ocasião dos brasileiros fazerem uma ideia.
Contemplando o quadro de Nosso Senhor sendo zombado por um soldado, composto por Carl Bloch, não há exagero em afirmar que vivemos uma situação, por alguns aspectos, muito semelhante.
O mesmo ódio, o mesmo ímpeto de agressão, a mesma sanha do carrasco contra Nosso Senhor é vista na agressão sofrida pelos caravanistas.
Por outro lado, a mesma calma, a mesma mansidão, a mesma distância psíquica, e por que não dizer, embora em nível muito menor que a do Salvador, mas reflexo sublime dela, a mesma superioridade está expressa nas fisionomias dos caravanistas. Saliento aliás, que bem à maneira do espírito de seu Fundador Plinio Corrêa de Oliveira.
Uma espécie de “aura dourada” sobrenatural envolveu de modo saliente os caravanistas, isso salta aos olhos vendo o filme.
É comovente contemplar essa aura, pois ela é o galardão prometido por Nosso Senhor quando disse no sermão das bem-aventuranças:
“Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da Justiça, porque deles é o Reino dos Céus.
Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem, perseguirem e mentirem, dizendo todo mal contra vós por minha causa.
Exultai e alegrai-vos, porque é grande vosso galardão nos céus, porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós." (São Mateus 5, 10 – 12)
Afinal, tal o Mestre, tais seus discípulos. 

3 comentários:

O Resistente disse...

Meus sinceros cumprimentos aos bravos caravanistas pela coragem e serenidade demonstradas diante dos mais abomináveis insultos. Os caravanistas do IPCO são dignos representantes do que há de melhor num cavaleiro cruzado.

Maria das Graças Pimenta disse...

É realmente um absurdo num país que se diz democrático tamanha audácia e intolerância! Onde está a liberdade de expressão? E a mídia vê semelhante bárbarie e fecha os olhos! A verdade incomoda!
Admiro bastante a coragem, a altaneria e fé que os caravanistas do IPCO transmitem. Nossa Senhora os proteja sempre.

Maria Eugenia Rocha Fiuza disse...

O artigo traduz nossos sentimentos.Continuemos com orações pelos jovens e pelos dirigentes do IPCO para que saibam orientar todo trabalho.Do Céu o Senhor Doutor Plínio olha por nós.

Dona Maria Eugênia Fiuza