domingo, 25 de maio de 2008

Apagam-se estrelas e acendem-se neons, mas Nossa Senhora acabará vencendo!

Se existe algo que reflete delicadeza e compostura, aliadas a uma casta beleza é o kimono japonês. Sua duração eu não sei precisar, mas deve ser de séculos. A japonesa que o utiliza tem um ar profundamente equilibrado e temperante, com um potencial enorme para a contemplação e admiração com pensamento. Não sei se ela é batizada; imaginemos que não seja. Se o fosse e se estivesse em estado de graça, seu brilho seria ainda maior, pois a graça de Deus que a criou para refletir algo Dele, habitaria nela.

A menina é uma semente desse povo que São Francisco Xavier tanto quis converter. Parece feita de porcelana e desperta em nós um sorriso de encantamento e nos faz imaginar quanto ela tem para brilhar no futuro se caminhar nas vias da santidade. Oxalá!...



Já as duas outras, inteiramente ocidentalizadas. Podem ser boas pessoas, não faço aqui um juízo sobre elas, mas nelas não brilha o Japão tão amado por Deus. Nem a delicadeza, nem a "porcelanidade" que as tradicionais têm. É a globalização com sua padronização universal; a qual poderia se definir como o enfeiamento e o apagamento universal. A continuar assim, o mundo ficará como se todas as estrelas se apagassem e fossem substituídas por lâmpadas frias de neon.

Deus criou uma variedade impressionante de seres desde os puramente espirituais, os Anjos, até os inteiramente materiais, os minerais. E dentro de toda a escala da criação existe, em cada degrau, uma variedade impressionante de aspectos. De maneira especial isso se dá com o gênero humano. A variedade de características espirituais e físicas faz com que o mundo dos homens seja como que "infinito".

Quando batizados e conduzidos autenticamente para a santidade cada povo brilha aos olhos dos demais como uma constelação cintila aos olhos das demais na imensa abóboda celeste.

Desta maneira, quando os povos cumprirem o plano que Deus tem para cada um, haverá uma imensa variedade, belíssima tanto em seus aspectos espirituais quanto materiais, tanto em cada povo quanto no conjunto dos povos; será o Reino de Maria, prometido por Nossa Senhora em Fátima. Alegremo-nos, por que, conforme Ela mesma prometeu, é para lá que vamos os que cremos e esperamos Nela.

Um comentário:

Thereza disse...

Sempre me impressionaram os trajes regionais. E desde pequena imaginava que Nossa Senhora os vestiria. Por exemplo, nela ficaria bem esse quimono. Mas esses trajes como que desapareceram e na Santíssima Virgem jamais se poderia conceber as roupas atuais, como das moças da foto. Nela só se conceberia a luz e nunca o neon!